Páginas

25 de dezembro de 2011

BOAS FESTAS!!


19 de dezembro de 2011

UM FELIZ NATAL E MUITO ESPECIAL

29 de novembro de 2011

MODELOS DE LEMBRANÇAS DE NATAL ARTESANAL.


Alguns modelinhos de lembrança para o Natal




QUE TAL MONTARMOS PORTA BOMBONS COM BOMBONS DENTRO PARA DAR DE PRESENTE COMO LEMBRANCINHAS DE NATAL , FICA BARATO E BEM LEGAL, SEGUE ABAIXO MODELO E MOLDE DO PORTA-BOMBONS, APROVEITE ESTA IDEIA E MONTE O SEU:

MOLDE:



MONTAGEM PASSO A PASSO E MATERIAL NECESSÁRIO:




Bonecos de Neve feitos com toalhas:

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Sacolas em feltro:


Image Hosted by ImageShack.usImage Hosted by ImageShack.us




Image Hosted by ImageShack.usImage Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.usImage Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.usImage Hosted by ImageShack.us




FONTE.http://catequese-nossasenhoradelourdes.blogspot.com/

6 de novembro de 2011

ESCOLA ESPECIAL TÂNIA REGINA DE MARINGÁ

Cartão de Natal artesanal PASSO A PASSO




Cartão com Kirigami

(Produção: Karina Tiemi | Fotos: Jin Yonezawa)
Felicite seus parentes e amigos com um belo cartão de Natal. A artesã Naomi Uezo explica como produzir um cartão com a arte do kirigami (corte em papel). Fácil de fazer, será um modo criativo de mandar seus votos para as festas de fim de ano. Siga os passos indicados e faça em casa!
Material
• Papel collorplus verde e vermelho 14 x 19 e 120 g de espessura (parte interna) e 15 x 20 e 180 g (parte externa)
• Papel collorplus amarelo 3 x 3 e 120 g de espessura
• Estilete
• Cola
• Caneta sem tinta ou boleador (para vincar)
• Régua
• Base de corte para proteger a mesa
• Modelo de árvore de natal
Passo-a-passo
1 - Dobre a folha verde ao meio.Com o modelo em cima do papel verde, risque os traços com a caneta sem tinta e a régua. Corte com gilete os traços marcados no papel.

2 - Vinque as linhas tracejadas. Retorne à posição original, desdobre e abra o cartão com cuidado. Levante a linha pontilhada com a régua.

3 - Dobre o papel amarelo ao meio. Dica: a dobra tem que coincidir com a dobra do modelo. Marque a forma da estrela com o mesmo processo da árvore. Corte com o estilete e cole a estrela na ponta da árvore. .
4 - Para a capa, marque os cantos, com o mesmo processo da árvore e da estrela. Corte os quatro cantos com gilete.

5 - Vinque o meio do cartão com a caneta. Dobre ao meio e encaixe o papel verde. Pronto.

Serviço: Atelier Naomi Uezo
Rua dos Alcatrazes, 162 - Saúde
TEL.: (11) 5078-6255
E-mail: naomi@kirigami.com.br


http://www.nippobrasil.com.br/2.semanal.artesanato/rev_16.shtml

Cartões de Natal Artesanais - MODELOS


E aqui o detalhe dos flocos de neve que fiz com massa para modelagem e estencil de natal. Depois de seca, passei cola gliter furticor:


Aqui está o PAP da guirlanda. Caso alguém tenha interesse, ela e outras dobraduras estão disponíveis no Clube do origami.

Fonte: http://www.origami-club.com

3 de novembro de 2011

NOSSA PROFESSORA DE TEATRO.

O Roteiro


Leiza Maria é estreante como roteirista. Atriz e produtora, começou sua carreia em 1997 no Paraná, onde estudou interpretação no Teatro Universitário de Maringá. Desde 2003 trabalha e mora no Rio de Janeiro. Foi produtora do grupo de teatro "O Porão" em 2004. Logo após assumiu a gerência do Teatro Miguel Falabella onde permaneceu de 2005 a 2009. Também trabalhou um ano e três meses como Diretora de Produção do Teatro Maria Clara Machado, entre o final de 2009 e o ano de 2010. Como atriz participou de onze espetáculos profissionais. Doze Festivais de Teatro, entre eles, FILO, Snard Azevedo, FENATIB, FETACAM (prêmio de melhor Atriz), Festival de Toledo (prêmio de melhor Atriz). Foi professora de teatro e acrobacia do curso livre do Teatro Miguel Falabella. Na televisão fez diversos filmes publicitários e no cinema atuou no curta metragem "Sobre a mesa" e no longa "Efeito Sanfona" de André de Lucca.

25 de outubro de 2011

SINTOMAS DA SÍNDROME DE ASPERGER Um diagnóstico preciso e seguro do Asperger

Como sempre afirmamos, cada criança é um mundo e não se pode generalizar. Menos ainda nos casos de Asperger. Um diagnóstico preciso e seguro só poderá ser dado por um médico especialista, assim como o devido tratamento.

No entanto, existem algumas características que podem ser observadas pelos pais quando seus filhos tenham entre 2 e 7 anos de idade. Normalmente, uma criança com Asperger pode apresentar algumas características com maior frequência. Aqui, apresentamos algumas:

1- Habilidades sociais e controle emociona

Síntomas do Asperger

- Não desfruta normalmente do contato social. Relaciona-se melhor com adultos que com crianças da mesma idade. Não se interessa pelos esportes.

- Tem problemas de brincar com outras crianças. Não entende as regras implícitas do jogo. Quer impor suas próprias regras, e ganhar sempre. Talvez por isso prefira brincar sozinho.

- Custa-lhe sair de casa. Não gosta de ir ao colégio e apresenta conflitos com seus companheiros.

- Custa-lhe identificar seus sentimentos e os dos demais. Apresenta mais birras que o normal. Chora com facilidade por tudo.

- Tem dificuldades para entender as intenções dos demais. É ingênuo. Não tem malícia. É sincero.

2- Habilidades de comunicação

- Não pode olhar nos olhos quando fala contigo. Crê em tudo aquilo que lhes dizem e não entende as ironias. Interessa-se pouco pelo que dizem os outros. Custa-lhes entender uma conversa longa, e muda de tema quando está confusa.

- Fala muito, em tom alto e peculiar, e usa uma linguagem pedante, extremamente formal e com um extenso vocabulário. Inventa palavras ou expressões idiossincrásicas.

- Em certas ocasiões, parece estar ausente, absorto em seus pensamentos.

3- Habilidades de compreensão

- Sente dificuldade em entender o contexto amplo de um problema. Custa-lhe entender uma pergunta complexa e demora para responder.

- Com frequência não compreende uma crítica ou um castigo. Assim como não entende que ele deve portar-se com distintas formas, segundo uma situação social.

- Tem uma memória excepcional para recordar dados e datas.

- Tem interesse especial pela matemática e as ciências em geral.

- Aprende a ler sozinho ainda bem pequenos.

- Demonstra escassa imaginação e criatividade, por exemplo, para brincar com bonecos.

- Tem um senso de humor peculiar.

4- Interesses específicos

- Quando algum tema em particular o fascina, ocupa a maior parte do seu tempo livre em pensar, falar ou escrever sobre o assunto, sem importar-se com a opinião dos demais.

- Repete compulsivamente certas ações ou pensamentos para sentir-se seguro.

- Gosta da rotina. Não tolera as mudanças imprevistas. Tem rituais elaborados que devem ser cumpridos.

5- Habilidades de movimento

- Possui uma pobre coordenação motora. Corre num ritmo estranho, e não tem facilidade para agarrar uma bola.

- Custa-lhe vestir-se, desabotoar os botões ou fazer laço nos cordões do tênis.

6- Outras características

- Medo, angústia devido a sons como os de um aparelho elétrico.

- Rápidas coceiras sobre a pele ou sobre a cabeça.

- Tendência a agitar-se ou contorcer-se quando está excitado ou angustiado.

- Falta de sensibilidade a níveis baixos de dor.

- São tardios em adquirir a fala, em alguns casos.

- Gestos, espasmos ou tiques faciais não usuais.

http://br.guiainfantil.com/asperger.

VISITA DE JONES DARK NA ESCOLA ESPECIAL TÂNIA REGINA

2 de outubro de 2011

SER CHIQUE SEMPRE - GLÓRIA KALIL




Belo artigo e porque não dizer... conselho! Me surpreendeu!
SER CHIQUE SEMPRE - GLÓRIA KALIL

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos
dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.
Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é ser discreto.
Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuaçõe inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador.
É lembrar-se do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais!
Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor.

É "desligar o radar", "o telefone", quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção a sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Chique do chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do físico... quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, intolerância, ateísmo...falsidade.

Mas, para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos terminar da mesma maneira, mortos sem levar nada material deste mundo.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem, que não seja correta.

Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Porque, no final das contas, chique mesmo é Crer em Deus!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas,
Amor e Fé nos tornam humanos!

GLÓRIA KALLIL

19 de setembro de 2011

18 de setembro de 2011

MATÉRIA DO DIA 18/09 DO O DIÁRIO DE MARINGÁ

Cozinhando com mãos especiais

Farinha, açúcar, ovo, leite, fermento... após misturados, todos os ingredientes vão ao fogo e começam a dar vida ao bolo que co

O cheiro está delicioso, provoca o paladar e envolve todo o espaço, chamando a atenção de quem caminha pela rua. Enquanto o tempo passa, é hora de lavar a louça, guardar os talheres e prestar atenção na professora. Professora?

Isso mesmo, cozinhar pode ser uma arte, um dom, ou simplesmente encarada como a saída para matar a fome, entretanto para uma turma de Maringá, formada por alunos com deficiência mental ou intelectual, autismo e outros tipos transtorno de desenvolvimento, trata-se de uma atividade educativa.

João Paulo Santos

Aulas são divertidas e aprovadas por todos. Vai um suquinho aí?

Tânia Regina, professora e proprietária de uma escola especial de Maringá, explica que são os próprios alunos quem escolhem as receitas.

Segundo ela, a culinária educativa estimula a concentração, o trabalho em equipe, o senso de organização, o controle motor e contribui para o aprendizado dos pesos, medidas e sistema monetário, uma vez que são os próprios alunos que compram os ingredientes.

"Sendo assim um dos principais pontos positivos que a elaboração dos pratos promove é a independência do aluno. É o aluno, inclusive, que fica responsável por organizar a lista de produtos", diz Tânia

Dentre as receitas executadas estão uma série de alimentos simples e, principalmente, deliciosos. No cardápio há desde chocolate quente, vitaminas, sucos naturais, gelatina, salada de frutas, chás medicinais e sanduíches naturais até guloseimas como brigadeiro, cocadas, bolo de chocolate e doces com leite ninho.

Brigadeiro e suco
"Eu faço sozinho o brigadeiro
no micro-ondas e depois faço
as bolinhas. O suco, eu
espremo as laranjas sozinho"
Lucas Dacomi
Aluno

Os alunos não têm acesso a objetos cortantes e ao fogo. Quando seu uso é necessário, os professores os auxiliam nessa tarefa.

Pais e filhos aprovam as aulasLucas Dacomi, 15, é um dos alunos participantes das aulas. Ele conta que fazer suco e brigadeiro é
sua especialidade.

"Até em casa já ajudei minha mãe a fazer. Eu faço sozinho o brigadeiro no micro-ondas e depois faço as bolinhas. O suco, eu espremo as laranjas sozinho", afirma ele, orgulhoso.

Danielle Marçal, 35, também faz brigadeiro em micro-ondas, porém seu predileto mesmo é o bolo formigueiro. "Esse sim é o que a gente mais gosta", garante.

Já para Matheus Jacomini de Almeida, 14, nada supera o bolo de chocolate. Quando questionado se seu prato é gostoso, ele é enfático: "Sim. Foi eu quem fiz, né!", responde prontamente

E não são apenas os alunos que aprovam as aulas de culinária educativa. De acordo com Tânia, os pais, da mesma forma, são só elogios. "Seus filhos ficam mais independentes. Quando sentem fome vão lá e preparam seu próprio lanche. Sem contar que muitos ajudam os pais na cozinha, o que também é muito importante para ambos", completa.

Desde cedo

3 anos A partir dessa idade, é possível iniciar o trabalho de culinária educativa com os alunos.